Histórico

quinta-feira 14 de outubro de 2004 por terrazul

1999

Em 1999, um grupo de sindicalistas, que atuavam em suas entidades sindicais coordenando áreas relacionadas a questões ambientais e à saúde do trabalhador, se junta a ambientalistas, iniciando uma discussão sobre como poderiam aproximar as questões ecológicas dos movimentos sociais.

Surgiu, assim, a idéia de constituir uma instituição que pudesse assessorar e organizar projetos, programas e campanhas para a sociedade, em particular para os movimentos sociais, que contruibuisse para a reflexão sobre o nosso futuro, enquanto cidadão e enquanto espécie habitante do planeta Terra. Procurando ampliar o debate sobre os problemas ambientais, relacionando-os às suas causas econômicas e políticas e fortalecer a luta por uma vida digna, por um futuro saudável e um novo modelo de civilização que respeite a diversidade étnica, cultural e biológica de cada indivíduo e de cada sociedade.

Nessa perspectiva surgiu, nesse mesmo ano, o Instituto Terrazul. (hoje Associação Alternativa Terrazul). Que tem com seus principais objetivos formar consumidores e transformadores sociais, com práticas pedagógicas direcionadas a estimular a reflexão sobre as causas e conseqüências de nossos atos de consumo, com uma forte relação entre educação e transformação social, ou seja, uma ferramenta do processo de construção de uma outra realidade sócioambiental no planeta. Buscando assim a transformação das relações de produção e consumo, dentro de uma visão contemporânea para a construção de um mundo mais justo, mais humano e sustentável do ponto de vista social, local e ambiental.

Logo nos seus primeiros meses de atuação, o Instituto Terrazul definiu uma ação prioritária com o movimento sindical, passando a colaborar com a Comissão Nacional de Meio Ambiente da Central Única dos Trabalhadores, ajudando essa Comissão a organizar Comissões Estaduais e a desenvolver programas de formação para sindicalistas.

Nesse mesmo período, o Instituto filia-se ao Fórum Brasileiro de ONGS e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e Desenvolvimento (FBOMS), passando assim a participar de vários dos grupos de trabalho daquela articulação.

Realiza em parceira com a Fundação Konrad Adenauer e Fundação Cepema, seminário sobre Desertificação. Realiza ainda o I Seminário da Cafeicultura Ecológica e, juntamente com vários parceiros, o 2º Congresso Cearense de Educadores Ambientais.

2000

Em janeiro de 2000, o Instituto Terrazul, em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Marco e a ONG Alternatives (Canadá), inicia a execução do programa “Gênero, Produção e Natureza”.

O Projeto tem como objetivo geral trabalhar a formação de Agentes Ecológicos Femininos, tendo em vista o aumento da participação das mulheres na produção local e no desenvolvimento de uma agricultura ecologicamente sustentável, com o aproveitamento e beneficiamento do pedúnculo do caju orgânico.

O programa “Gênero, Produção e Natureza” atua no Município de Marco, na região litoral de Camocim e Acaraú, no Estado do Ceará, com população estimada em 30.335 habitantes (Senso de 1991), e está sendo desenvolvido com mulheres de 10 comunidades que circundam o local.

As atividades estão concentradas no Sindicato dos Trabalhadores Rurais, o qual tem, nos últimos anos, se preocupado em incentivar a filiação das mulheres trabalhadoras rurais. Ao mesmo tempo, o Sindicato orienta aos associados quanto à prática de uma agricultura que não cause degradações ao meio ambiente.

A cajucultura do Município de Marco é desenvolvida em 20.300 ha. e produz, em média, 1.304 toneladas somente de castanha de caju. O Projeto “Gênero, Produção e Natureza” recebeu além do apoio da ONG Alternatives, o apoio da CESE e tem como objetivo organizar a cooperativa das produtoras e comercializar os seus produtos.

Ainda no ano 2000, iniciam-se as rearticulações do Fórum Cearense do Meio Ambiente, a partir da intensificação da luta contra o aterro da Praia de Iracema. A Praia de Iracema é um bairro histórico de Fortaleza, situado na orla marítima e perto do centro da cidade. O aterro foi uma obra da administração municipal que envolveu aproximadamente 10 milhões de reais.

Apresenta o grupo Quarteto Sueco. Realiza, com a FETRACE, o “Seminário Internacional Trabalho, Produção e Consumo Sustentáveis: uma nova perspectiva para o movimento Sindical”. Promove o lançamento do livro “ETHOS MUNDIAL – Um consenso mínimo entre os humanos” e a Conferência “A Crise Social” do Professor Teólogo Leonardo Boff.

No segundo semestre do ano 2000 até o final de 2001, o Instituto Terrazul firma uma parceria com a Federação dos Trabalhadores em Comércio e Serviço do Estado do Ceará para realizar o Programa Educação para a Cidadania, realizando cursos de educação ambiental para trabalhadores e moradores de bairros da grande Fortaleza e zona litorânea do Ceará.

Nesse mesmo período, o Instituto recebe estagiários do Canadá para atuarem junto aos jovens e organizar a página web da entidade. Deste então, o Terrazul tem recebido todos os anos jovens do Canadá estagiários da ONG Alternatives desse mesmo país para apoiarem instituições parceiras, ajudando-as na construção de suas homepages e na comunicação.

Nesse sentido, já contaram com o nosso apoio, através desse programa, o Instituto Florestan Fernandes, o Movimento dos Sem Terra - MST, Movimento de Sócioeconomia Solidária, o Movimento Cultura de Rua - MCR e o Movimento dos Conselhos Populares - MCP.

2001

Em todo o ano de 2001, intensificam-se as articulações do Instituto com redes e fóruns estaduais, nacionais e internacionais, enfatizando-se o engajamento do Terrazul no Fórum Social Mundial e nos diversos GT´S do Fórum Brasileiro de ONG’s e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento.

O Terrazul adere à Plataforma Internacional para um Mundo Justo e Sustentável e à Rede Brasileira de Justiça Ambiental. A partir de 2001, o Fórum Social Mundial passa ser uma ação prioritária do Instituto Terrazul, o levando ao engajamento no Conselho Brasileiro do Fórum e nas três seções do Fórum (2001, 2002 e 2003), organizando oficinas e fortalecendo as redes que a entidade tem filiação e/ou relação.

Inicia o Projeto TV Cultura de Rua com alguns parceiros. A TV Cultura de Rua abrange quatro bairros e consiste em articular jovens da periferia para através elaboração de programas comunitários fortalecer a cidadania ativa e a participação popular na busca de uma sociedade sustentável.

Realiza, ainda, o Encontro Ecotopia com apoio da Rede Terra do Futuro (Suécia). Esse encontro reuniu jovens de todo mundo que lutam por um planeta sustentável.

Ao final do ano, surge a Juventude Ecotopia, que articula, principalmente, jovens secundaristas e universitários para atuação na luta ambiental.

Organiza a exibição do filme brasileiro em Nova York. Participa do Lançamento dos Livros Entre Árvores e Esquecimentos, Os Historiadores e os Rios e as Fronteiras Amazônicas do professor Vitor Leonardi.

Divulga a Semana do Meio Ambiente em 2002. Permanecem as articulações para o fortalecimento do Fórum Cearense do Meio Ambiente através de reuniões plenárias e campanhas ambientalistas. Destaca-se o apoio a Campanha contra os transgênicos. Todavia, a falta de um apoio institucional ao FCMA limita sua atuação.

Iniciam-se os debates sobre o rumo do FCMA e a necessidade de buscar um projeto de apoio as suas ações. Em função de não se ter chegado a uma posição madura sobre o assunto, mantêm-se o formato atual, baseado na contribuição voluntária das entidades que compões o FCMA. No final de 2001, o Instituto Terrazul filia-se a Rede de ONG’s da Mata Atlântica.

2002

O ano de 2002 é um período de intensa atividade sócio-ambiental do Instituto Terrazul. A entidade filia-se a Rede Brasileira para a Integração dos Povos (REBRIP), capítulo nacional da Aliança Social Continental, rede que articula movimentos sociais no continente para lutarem contra a implantação da ALCA e contra a OMC. Na REBRIP, o Terrazul participa da sua coordenação nacional e coordena o Grupo de Trabalho sobre Comércio e Meio Ambiente.

Em Fortaleza, o Terrazul continua sua estratégia de fortalecimento do FCMA que realiza a I Semana do Meio Ambiente do Ceará. A Semana que gerou grande impacto no Estado lança o “Dossiê dos Crimes Ambientais” divulgando os principais problemas sócio-ambientais do Ceará. O FCMA também participa da campanha contra a ALCA, indicando o Instituto Terrazul para representá-lo na Coordenação Estadual da campanha.

Em Fortaleza também se realizam seminários e manifestações durante a reunião do BID, o Terrazul participa da coordenação dessas atividades, tendo, juntamente com outras entidades do FCM, importante papel na mobilização da sociedade civil. Em função disso a Rede Brasil que Monitora as Instituições Multilaterais convida o Instituto para filiar-se e a Assembléia Geral da Rede elege o Diretor-Presidente do Instituto para ser membro da coordenação.

Neste ano, o Terrazul participa intensamente da preparação para a Conferência Rio+10, participando da Consulta do Fórum Brasileiro de ONG’s para o Meio Ambiente e Desenvolvimento sobre a Conferência e da Consulta oficial do Governo Brasileiro. No final do processo o Instituto envia dois delegados a Conferência em Joanesburgo.

O Instituto Terrazul passa a ministrar oficinas priorizando os temas de ecologia urbana e ecofemininismo. Em dezembro, o Terrazul ajuda o FCMA a realizar o Seminário “Governo Lula e o Meio Ambiente”. O Seminário que atingiu grande participação da sociedade civil contou com a presença do Coordenador da Transição para o Meio Ambiente do Governo Federal, o Deputado Gilney Vianna e ao final elaborou o documento “Bases para uma política ambiental para o Ceará” e uma carta de recomendação (Carta de Dezembro) que foram entregues ao governo como sugestão para uma Política Nacional de Meio Ambiente.

O Seminário consolidou a idéia da institucionalização do FCMA, elegendo uma Coordenação Estadual e aprovando a elaboração de um projeto para sua institucionalização, através do Instituto Terrazul. No final do ano, o Instituto Terrazul realizou também uma Assembléia Geral quando ampliou o número dos sócios e realizando um balanço das atividades anuais da instituição. É também no ano de 2002 que o Terrazul filia-se a Rede Internacional Terra do Futuro, sediada na Suécia.

2003

Em 2003, o Instituto Terrazul participa do Fórum Social Mundial onde realiza duas oficinas: uma sobre cultura e meio ambiente para a juventude, promovida em parceria com algumas entidades e Alternatives (Canadá); outra, abordando a discussão sobre o ecossocialismo, juntamente com a ONG CEA (Centro de Estudos Ambientais) do Rio Grande do Sul. Além dessas duas atividades, o Terrazul participa do Seminário “Rio + 11”, promovido pelo Fórum Brasileiro de ONG’s e Movimentos Sociais e pela Rede Justiça Ambiental.

Realiza-se ainda, através do FCMA, várias plenárias para discutir a nova política sócio-ambiental do Brasil e em reunião da coordenação aprova-se o Projeto de Apoio Institucional, hora enviado a CESE. Participa das Conferências Estadual e Nacional. Na primeira compondo a Coordenação Executiva Estadual e na segunda com participação efetiva com vários delegad@s. Promotores do Seminário Comércio e Meio Ambiente, juntamente com a Fase.

Credenciado na V Rodada de Negociação da Organização Mundial do Comércio em Cancun (México) e membro da delegação Brasileira como Assessor de delegação. Participação em vários Seminários preparatórios às rodadas de negociação da OMC. Re-eleito Membro da Coordenação da Rede Brasileira pela Integração dos Povos. Membro do Grupo de Trabalho Inter-setorial de Gênero e Meio Ambiente. Indicado para apresentar experiência com Desenvolvimento Sustentável: um enfoque em Gênero e Meio Ambiente pelo DFID, CIDA, ISP e outras organizações em Março e Setembro/03.

Finalista do Prêmio Star One com o Programa Fala Favela: Projeto Comunicação, Ecologia e Juventude, em parceria com algumas entidades.

Delibera e apresenta o Programa Permanente de Educação Para Consumidores Consciente. Com o Objetivo de organizar os Consumidores no Estado do Ceará. Projeto apresentado ao Fundo Gestor dos Direitos Difusos. Sendo aprovado em 26/11/03, com execução prevista para 2004.

2004

Executa em parceria com a Fundação Brasil Cidadã em Fortaleza, durante o período de 17 de janeiro a 15 de fevereiro o Programa de Olho no Ambiente, patrocinado pela PETROBRAS. Neste projeto o Terrazul foi responsável pela realização de várias atividades: oficinas, seminários, palestras, shows, teatros de bonecos atingindo um público de mil pessoas.

Participamos do encontro da Agenda 21 de Quixadá, sendo eleito para compor o Fórum da Agenda 21 de Quixadá. Em março promovem o Seminário Educação para a Sustentabilidade, em parceira com várias instituições, entre elas o Instituto Ecoar e Ministério do Meio Ambiente.

Participaram como convidados o físico, Dr. Fritjof Capra, Miriam Dualib e Pedro Ivo Batista. Estiveram presente evento mais 360 pessoas. Promovemos ainda neste período o encontro do Dr. Capra com os movimentos sociais (Juventude, MST, Mulheres, negros, trabalhadores e trabalhadoras, movimentos populares, parlamentares, imprensa, entre outros).

Realizou reunião de trabalho com o Instituto Virtual / UFC para debate a organização de um curso virtual sobre Sociedade, Cultura e natureza. Em abril participa em Brasília do GT/FBOMS de Agenda 21. Participa da rearticulação do Fórum Centro do Povo. Realiza reunião com a secretária executiva do FBOMS em Fortaleza para debater o Encontro Nacional do FBOMS.

Realiza reunião em Marco/Ce do Projeto Gênero, Produção e Natureza e inicia a construção do Centro de Produção da Agricultura Familiar. Em maio participa do Fórum da Zona Costeira do Ceará. Participa da Comissão de Organização da Conferencia de Ciência e Tecnologia;

Recebe estagiário da Alternatives pelo período de três meses. Junho participa das comemorações da semana de Meio Ambiente, organizado e mobilizando para a passeata dos Povos do mar.

Toma posse em Brasília, como representante do Fórum Brasileiro de Ongs e Movimentos Sociais da Comissão Nacional de Políticas de Desenvolvimento Sustentável e Agenda 21 (CPDS).

Em julho participa da primeira reunião de trabalho da CPDS. Participa da reunião preparatória do grito da Terra, na sede da FETRAECE; participa da Conferencia Estadual e Nacional de Ciência e Tecnologia.

Em Agosto assina convênio com Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Ministério da Justiça. Participa do 1º Encontro da Nacional da Rede de Economia Solidária; audiência pública do Consórcio da Juventude; Curso de Economia Solidária Consumidores Internacional; Seminário sobre Responsabilidade Empresarial Social.

Recebe estagiários da BRIGDES - San Francisco Califórnia- USA; participa de reunião com os Índios Tapebas. Em setembro realiza Planejamento Participativo da Diretoria e Sócios; participa da reunião do grupo de trabalho de Turismo do Fórum da Zona Costeira; reunião de articulação do Fórum Estadual da Agenda 21 do Ceará; Seminário Internacional Negociações Comerciais da União Européia com países e blocos da América do Sul; Diálogo SUL/Sul (África DO Sul e Mercosul) em Joanesburgo participa do Encontro da Rede Brasileira pela Integração dos Povos e é eleito para a coordenação.

Em novembro participa do Encontro Brasileiro da Rede DLIS em Olinda- PE. Fórum Social Nordestino, realizando oficina em parceria com outras entidades. Dezembro participa do VIII Encontro Nacional do Fórum Brasileiro de ONG’s e Movimentos sociais; inicia as atividades de mobilização do projeto: Programa de Educação Ambiental Para Formação de Consumidores Conscientes e a realização de quatro oficinas em Fortaleza; eleito para a coordenação do Fórum Brasileiro de ONG’s e Movimentos Sociais e coordenação do GT de Agenda 21/FBOMS.

2005

Dando continuidade ao Programa de Educação Ambiental para Consumidores Conscientes realiza nove oficinas em Fortaleza e nove no interior do Estado; lança o Programa de Rádio Para Consumidores Conscientes – realiza oficina de sensibilização de consumo sustentável em Fortaleza. Firma convênio com o BNB para a construção do Centro de Formação, Cultura e Produção Ecologia. Participa do V Fórum Social Mundial em Porto Alegre como reorganizador do II Encontro Nacional e do Seminário Internacional de Agendas 21 Locais; Turismo e Desenvolvimento nos Acordos de Livre Comércio e Turismo e Pequenos Estados Insulares/ Zonas Costeiras – Desastres Ecológicos Iminentes? Lições da Tragédia do Tsunami, em parceria com Terramar e com a Equations;

Foi um dos Fundadores da Rede Brasileira de Agendas 21 Locais junto com FBOMS, Instituto Vitae Civilis, Ministério do Meio Ambiente, Instituto 5 Elementos, Mater Natura, Grupo de Trabalho da Amazônia e Funatura.

Filia-se a Rede Internacional Alternatives; Continua a executar o Programa de Educação ambiental com as oficinas de sensibilização e o Programa de rádio em Fortaleza e no interior; Visitas vários interiores. Realiza Oficina Consumo e Gênero para construir a cartilha Sustentabilidade, Consumo e Gênero.

Publica a cartilha: O que é Consumo Sustentável. Realiza I Encontro de Consumidores Conscientes do Estado do Ceará e Funda a Liga de Consumidores Conscientes do Ceará. Participa da Frente Por Uma Nova Cultura da Água. É eleito para coordenar o GT Água e ser secretaria Executiva.

Eleito para a Coordenação do Fórum da Agenda 21 Local. Participa da Semana de Meio Ambiente e do Ato Salve a Sabiaguaba. Eleito para compor a coordenação da Agenda 21 de Fortaleza. Convidado para o II FOCOS – Debates sobre as relações África do Sul – Mercosul promovido pela Fundação Getulio Vargas.

Realiza em parceria com a SEMAN, em abril, o I encontro de Juventude pelo Meio Ambiente, que deu origem a Juventude Alternativa Terrazul que participa do GT de juventude do FBONS, da REJUMA, do Coletivo Jovem pelo Meio Ambiente e da Rede de Jovens do Nordeste. Em outubro realiza o II encontro da Juventude Terrazul.

2006

A Associação Civil Alternativa Terrazul além de integrar a Coordenação da Agenda 21 de Fortaleza, participou ativamente do VI Fórum Social Mundial em duas oficinas, Agenda 21 e Ecossocialismo realizado na África e do II Fórum Social Brasileiro em Recife-Pernambuco, na coordenação de uma oficina sobre a Rede de Agenda 21 em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, Juventude e Consumo e de uma mesa de diálogo entre Governo e Sociedade.

Participa da Conferencia Internacional da Reforma Agrária da FAO, representando o FBOMS, em março de 2006. Participa da Organização do V Encontro do Mercosul no Ceará em parceria com a Secretária da Presidência da Republica, Ministério das Relações Exterior e organizações Locais. Teve o objetivo de discutir o Mercosul e suas implicações para o Brasil, debatendo, inclusive, o bloco econômico na perspectiva cearense.

Organiza o Encontro Nordeste de Criação da Rede Brasileira de Agendas 21 Locais, em julho, junto com Instituto Vitae Civilis, MMA e FBOMS, o evento aconteceu em Fortaleza-Ceará. O encontro teve o objetivo de debater propostas para a criação da Rede Brasileira de Agendas 21 locais e tirar uma representação Nordeste da Rede.

Também em julho foi parceiro do Fundema, na realização do Seminário de consulta pública para discutir estratégias de aproximação da sociedade civil na gestão do Fundo de Defesa do Meio Ambiente de Fortaleza, atividade parte da capacitação de fundos socióambientais promovida pelo FNMA.

Participa do Encontro Nacional da Rede Brasileira de Agendas 21 Locais em Agosto 2006, em Brasília, promovida Instituto Vitae Civilis, FBOMS, MMA e Elos Regionais. O encontro teve o objetivo de definir a estrutura inicial da Rede, diretrizes para a elaboração de seu Plano de Trabalho, estratégia de comunicação e a escolha do Colegiado Nacional.

Organiza a Formação (curso de Agentes de Economia Solidária) sobre Consumo Sustentável realizada em parceira com o Instituto Florestan Fernandes e Consórcio Rural de Juventude.

Organiza o debate “Juventude e as Lutas Contra as OGMs” na COP-8 realizado em Curitiba em parceria com o GT de juventude do Fórum de Ongs e Movimentos Sociais na qual faz parte, Alternatives Internacional, UNE, MST e outras organizações. O objetivo era debater as conseqüências que os organismos geneticamente modificados podem trazer para a nossa geração e para as futuras gerações e assim contribuir com uma nova proposta que leve em consideração a proteção ambiental e o princípio de precaução, afirmando a importância da visão da juventude na tomada de decisões.

Realiza projeto em parceria com a Prefeitura Municipal de Fortaleza através dos CRAS (Centro de Referência da Assistência Social) nos bairros: Vila União, Quintino Cunha e Demócrito Rocha. Foram realizadas duas propostas de projeto: Tocando em Frente: Construindo uma nova visão de Consumo e Renda. Teve o intuito de sensibilizar para os temas: Gênero, Segurança Alimentar, Orçamento Doméstico, Economia Solidária e Consumo Sustentável voltados para o empoderamento das mulheres em relação a sua renda e consumo. Participarão do projeto 50 mulheres dos bairros Vila União e Quintino Cunha. A outra proposta foi idealizada para os 50 jovens dos bairros Vila União e Demócrito Rocha. Hip Hop, Meio Ambiente e Cidadania: Fazendo uma nova leitura do mundo, esse projeto foi pensado exclusivamente para jovens, pois são eles os detentores do potencial transformador de uma sociedade e nesse contexto, os jovens do bairro Vila União se insira de certa forma, como agentes revolucionários.

Também Recebeu um estagiário do Alternatives-Canadá para participar e desenvolver ações junto ao Terrazul. E Participa do Encontro da Rede Brasileira Ecossocialista onde é eleita da coordenação da Rede.

2007

Inicia a construção da Agenda 21 da Rosalina, comunidade na cidade de Fortaleza de baixos índices de desenvolvimento humano com mais de 6000 moradores. A primeira Ação foi à realização do Seminário de Capacitação da Agenda 21 da Comunidade da Rosalina realizado, em julho, no Banco do Nordeste com parceria do Ministério do Meio Ambiente, Palma Engenharia, Incubadora de Cooperativa da Universidade Federal do Ceará e da Prefeitura Municipal de Fortaleza. Nesse seminário foi realizado um planejamento estratégico e participativo para o desenvolvimento local e sustentável da comunidade.

Todo o trabalho de construção foi em parceria com a Associação de Moradores da Comunidade e com a Prefeitura Municipal de Fortaleza. Conseguimos um espaço para a Casa da Agenda 21 da Rosalina para dar suporte físico as nossas ações.

Inicia a construção de uma Cooperativa que se chama ROSACOOP além das ações: eventos, formação Política, busca de políticas públicas para a comunidade além da construção do Congresso da Agenda 21 que culminará na construção do Fórum da Agenda 21 da Rosalina que será tripartite: Governo, sociedade civil e empresários. Atualmente estamos querendo alcançar o público Jovem para transformação de agentes transformadores e protagonista da história sócioambiental da comunidade.

Recebe estagiário em comunicação da ONG Alternatives do Canadá para a produção de um documentário sobre a Agenda 21 da Rosalina.

Nesse mesmo mês a Juventude Alternativa Terrazul é eleita para o Conselho Municipal de Juventude sendo a Segunda Entidade mais votada de Fortaleza.

A Alternativa Terrazul participa da construção de ALTERINTER. A Rede Alternatives Internacional (AlterInter) é uma federação que congrega (oito) entidades, Alternative (Nigéria), Alternative Information Center (Palestina-Israel), Iniciatives pour Autre Monde – CEDETIM-IPAM (França), Bharat Gyan Vigyan Samithe (Índia), Alternatives (Canadá), Forum das Alternatives (Marrocos), Teacher Creativity Center (Palestina), Khanya College (África do Sul) e Alternativa Terrazul (Brasil). Essa Construção culminou na realização da Assembléia Geral de Alterinter em Montreal, Quebec, Canadá, em setembro, através da eleição da Alternativa Terrazul para o Conselho Executivo Internacional da Rede. O Conselho é composto também por Teacher Creativity Center na Presidência, Alternatives (Canadá) na Secretaria, IPAM na Tesouraria e Aternatives (Marrocos).

Realiza em parceria com a Prefeitura Municipal de Fortaleza o Projeto Fortaleza em Férias onde visa proporcionar a população dos bairros atividades esportivas como: vôlei, natação, ginástica, artes marciais, yoga, tai chi chuan, surf, futebol, basquete e xadrez, para a qualidade de vida e junto com essas atividades despertar o pensamento ecológico e sustentável.

Participa também nesse mesmo mês do comitê da organização do Plebiscito da Vale do Rio Doce organizado também pela Central Única dos Trabalhadores, Marcha Mundial de Mulheres, União Nacional dos Estudantes e outras organizações.

Em setembro o Terrazul realiza uma Mesa Temática sobre Semi-Árido no II Encontro Nacional dos Povos da Floresta com apoio do Banco do Nordeste. As mesas foram sobre as temáticas: Semi-Árido, Mudanças Climáticas, Biodiversidade e Redução da Pobreza. Os debates tiveram o objetivo apontar estratégias de combate aos efeitos do aquecimento global no semi-árido, delinear alternativas e compartilhar experiências de políticas públicas na região Nordeste.

A Rede Brasileira de Integração dos Povos (REBRIP) realizou sua IV Assembléia Geral, em Outubro, em Brasília. A Associação Alternativa Terrazul que participou da assembléia foi eleita novamente coordenação da Rede para o período 2007-2009.

Nesse mesmo mês participa do II Encontro Nordestino da Rede Nacional de Agendas 21 Locais foi realizado em Porto de Galinhas - Pernambuco. O encontro teve o objetivo de avaliar a rede com um ano de existência, a apresentação dos processos de Agenda 21 do Nordeste e a eleição de uma nova coordenação da Rede no Nordeste.

Participa em Novembro da Assembléia da Rede Terra do Futuro no Uruguai e participa do Curso de Saneamento Ambiental ofertada pela rede.

A Juventude Alternativa Terrazul apóia o Dia Nacional de Juventude organizado pela Pastoral da Juventude e Meio Popular no bairro Mondubim em Fortaleza. O evento teve o tema: Juventude e Meio Ambiente e a Juventude da organização debateu os temas: aquecimento global, desmatamento e consumo com o foco no protagonismo juvenil e na construção de um mundo sustentável.

Em dezembro realiza atividades com o teólogo, ambientalista e filósofo Leonardo Boff. Foi realizada a I Conferência da Agenda 21 da Rosalina onde foi ministrada uma palestra de Leonardo Boff na comunidade da Rosalina em Fortaleza. A Conferência teve como objetivo aprovar o plano de desenvolvimento local e sustentável e o Fórum da Agenda 21 da Rosalina e comparecerão mais de 700 pessoas da comunidade.

Neste mesmo dia o teólogo também esteve no Auditório de Direito da Universidade Federal do Ceará, na palestra "Educação e Ecologia: Uma Cultura de Paz e Sustentabilidade" onde mais de 700 pessoas compareceram. O evento foi promovido pela Associação Civil Alternativa Terrazul, Universidade Federal do Ceará, Diretório Central dos Estudantes da UFC, Secretaria de Educação e Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente do Governo do Estado do Ceará.

Realiza no V Feirão Estadual da Socioeconomia Solidária, Agricultura Familiar e Reforma Agrária, o lançamento do programa Trabalho Comunitário Solidário da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), Instituto Palmas de Desenvolvimento e Socioeconomia Solidária, a Associação Civil Alternativa Terrazul e a Cáritas Brasileira Regional.

O programa é uma estratégia de desenvolvimento de políticas públicas de geração de trabalho e renda e tem como principal objetivo o apoio/fomento às práticas de economia solidária no município de Fortaleza. O público atendido será grupos de produção, de consumo e de comercialização solidária, novos e já existentes, que atuem na perspectiva da economia solidária em 14 bairros de Fortaleza. O programa terá a duração de um ano. Participa da Organização da III Conferência Estadual de Meio Ambiente que aconteceu da Faculdade Integrada do Ceará em Fortaleza.

Participa da Atividade Cúpula dos Povos do Mercosul em Montevidéu no Uruguay que acontece junto com a Cúpula dos Presidentes do Paises do Mercosul e tem como objetivo discutir as agendas de integração do movimento social nos processos de integração dos povos da América Latina.

A Participação do Terrazul acontece na da atividade intitulada construindo Painel um Mercosul Sustentável e participativo, Meio Ambiente foi organizada pela Casa Bertolt Brecht da Argentina, Associação Civil Alternativa Terrazul e Rede Brasileira pela Integração dos Povos, estavam presentes pessoas de movimento sociais, ongs, sindicatos representando vários paises que compõe o Mercosul.

2008

Inicia o Programa Trabalho Comunitário Solidário em 14 bairros de Fortaleza com a parceria e apoio financeiro da Prefeitura Municipal de Fortaleza e apoio técnico Instituto Palmas e Cáritas Regional Brasileira. Dar continuidade ao Projeto Agenda 21 da Comunidade da Rosalina com parceria e apoio financeiro da Prefeitura Municipal de Fortaleza e também ao Centro de Produção da Agricultura Familiar em Marco no interior do Ceará com apoio financeiro da ONG Alternatives do Canadá. Esses projetos têm o objetivo de construir uma visão de sustentabilidade local e ambiental junto com uma nova perspectiva de consumo e Renda.

Lança o documentário Rosalina: uma comunidade em construção realizado pela estagiária do Alternatives Sofie Guérin com apoio do Terrazul e da comunidade da Rosalina. O documentário é exibido no 18º Cine Ceará na Mostra Olhar do Ceará em Fortaleza.

A Juventude Alternativa Terrazul realizada o seu V Encontro da Juventude momento de formação e organização do grupo. Realiza também um debate através do Conselho Municipal de Juventude que é coordenação adjunta a discussão sobre o Fundo Municipal Antedrogas.

A entidade é convidada para participar da mesa, na reunião do Conselho Nacional de Meio Ambiente realizado em Fortaleza.

Participa do Conselho Nacional de Juventude através da Rede de Juventude e Meio Ambiente pela Sustentabilidade. A Juventude Alternativa Terrazul e a Rede de Juventude e Meio Ambiente pela Sustentabilidade participa da I Conferência Nacional de Juventude em Brasília sendo a principal articuladora para o debate de Meio Ambiente e Juventude sendo a agenda 21 da juventude a 4ª proposta mais votada da Conferência.

Participa da III Conferência Nacional de Meio Ambiente em Brasília e também participaram da conferência o representante da Agenda 21 da Rosalina.

Lança o Jornal da Juventude Alternativa Terrazul na sua 1ª Edição: Vozes de Gaia: Uma chamada por um mundo sustentável, justo e igualitário. O jornal é um projeto com apoio da Ong Comunicação e Cultura e Prefeitura de Fortaleza.

Participa da reunião da Coordenação da Rebrip para discutir sobre a Reunião da Organização Mundial do Comércio e a Cúpula dos Povos do Mercosul.

É convidado para a reunião da Comissão de Políticas de Desenvolvimento Sustentável e da Agenda 21 Brasileira – CPDS, representando o FBOMS (Fórum Brasileiro de ONGS e Movimentos Sociais), a reunião teve o objetivo de organizar um plano de trabalho para o ano de 2008 e mostrar as políticas de Meio Ambiente voltadas para a Agenda 21 Brasileira.

Realiza a aula inaugural do Curso Internacional à Distância com Formação em Ecossocialismo é uma proposta de aproximação de militantes dos movimentos e organizações sociais do conhecimento científico e da formação política continua em ecologia social, com base no ecossocialismo com apoio da ONG Alternatives do Canadá.

Recebe estagiário da França da Organização Não Governamental Échanges et partenariats e Réseau IPAM (Iniciativas para um outro mundo) para contribuir na elaboração do projeto de intercâmbio para a Juventude Alternativa Terrazul.

Assinaturas: 0

Fórum

Associação Civil Alternativa Terrazul,

Rua Goiás No 621. Bairro: Pan-Americano. Cep: 60441000 Fortaleza - Ceará - Brasil

E-mail: alternativa.terrazul@terra.com.br tel: + 55 85 32810246

Alternatives International

Data Nome Mensagem