Funcionários da empresa Belmont no interior do Ceará fazem greve com apoio do MST

quinta-feira 21 de agosto de 2008 por Comunicação Terrazul

Uma ação de funcionários da Belmont, empresa de fruticultura instalada em Limoeiro do Norte, a 194 Km de Fortaleza, paralisou as atividades da empresa há uma semana. A greve é inédita porque, antes, segundo o comando do movimento, "havia muita represália das chefias, e o pessoal tinha medo". Desde o dia 4 de agosto, cerca de 1,8 mil trabalhadores iniciaram uma greve por tempo indeterminado.

Nos últimos oito dias, centenas de pessoas têm feito um piquete em frente à fábrica. "Nós estamos morando lá", diz João Paulo, militante do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), uma das organizações que têm apoiado a mobilização dos trabalhadores. A Via Campesina, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), o Movimento de Pequenos Agricultores (MPA), a Coordenação Nacional de Lutas no Ceará (Conlutas-CE), Comissão de Direitos Humanos da OAB, Terrazul e Cáritas.

De acordo com João Paulo, a negociação entre a Belmont e os grevistas se deu início na sexta-feira, em Fortaleza. A proposta da empresa é distribuir cestas básicas. No entanto, a pauta do movimento grevista vai além. A reivindicação abrange diversos pontos, como melhores condições de trabalho (luva, botas, máscaras, banheiro, refeitório etc.), abono, horas-extras e regularização de férias. Zélia Franklin da Comissão de direitos humanos da OAB e diretora do Terrazul se fez presente na negociação. Para o Terrazul a greve é inédita no Ceará por conta da repressão que empresa faz as funcionários sendo assim o seu acontecimento muito importante para o fortalecimento dos movimentos sociais e dos trabalhadores.

Fonte: www.mst.org.br

Assinaturas: 0

Fórum

Associação Civil Alternativa Terrazul,

Rua Goiás No 621. Bairro: Pan-Americano. Cep: 60441000 Fortaleza - Ceará - Brasil

E-mail: alternativa.terrazul@terra.com.br tel: + 55 85 32810246

Alternatives International

Data Nome Mensagem