Cadê a Mata que tava aqui?!?

sexta-feira 26 de maio de 2006 por Cíntia Barenho

Cadê a Mata Atlântica que cobria mais de 15% do território brasileiro quando os europeus aqui chegaram? Cadê a Mata Atlântica que detém o recorde mundial de biodiversidade arbórea? Cadê a Mata Atlântica que vem sendo substituída ao longo da história por diversos tipos de monoculturas? Cadê a Mata Atlântica que abrangia 17 estados brasileiros? Cadê a Mata Atlântica, ou melhor, o Pau-Brasil, que deu origem ao nome da nossa pátria?

Essas são algumas das perguntas que devem ser feitas nesse dia 27 de maio, Dia da Mata Atlântica. Mais uma data emblemática para a questão ambiental, em que ainda não temos muito a comemorar.

Um bioma tão importante e ameaçado quanto a Amazônia, e tão esquecido, precisa ter sua identidade resgatada. O Brasil "nasceu", prosperou e vem menosprezando a Mata Atlântica ao longo da sua história. Diversos ciclos econômicos vêm devastando as nossas matas, como o do pau-brasil, o da cana-de-açúcar, o do café e, recentemente, o do eucalipto, o da soja e o da carcinicultura. Além disso, mais de 70% da população brasileira está na zona de influência da Mata Atlântica, bem como, a maioria das nossas grandes cidades.

Mesmo a Mata Atlântica tendo reconhecimento na Constituição Federal (art. 225) como patrimônio nacional; mesmo tendo diversos mecanismos jurídicos que garantam a sua proteção; mesmo tendo diversos coletivos ambientais buscando sua preservação, conservação e recuperação; mesmo o Brasil sendo um dos signatários da Convenção de Diversidade Biológica apenas 7% da sua cobertura original ainda existe, sendo o 2º ecossistema mundial mais ameaçado de extinção. Sem contar os 12 anos que a PL 3285/92 (lei da Mata Atlântica) vem tramitando no congresso nacional, ainda temos muito a avançar para sua efetiva conservação e preservação.

Em nossa região, o bioma Mata Atlântica também se faz presente, através das matas de restinga, banhados, dunas. E, infelizmente, a nossa realidade não é muito diferente do restante do Brasil. Nossas matas, em especial, nossos banhados, ainda são negligenciados pelo poder público e desconhecidos pela sociedade. Mais que uma função ambiental, exercem uma função social, bem como, econômica para a região. Colaboram no controle das cheias e vazão de corpos d’água, são criatórios de peixes, são ambientes de repouso de aves migratórias, são filtros biológicos.

Enfim o verde da Mata Atlântica não vem só das árvores de suas matas, mas dos banhados, dunas, restingas - ambientes associados - que evidenciam a importância da preservação, conservação e recuperação desse bioma para todos e todas.

Cíntia Pereira Barenho é Bióloga e Mestranda em Educação Ambiental/FURG - Integrante do Centro de Estudos Ambientais CEA) - CRBio3 45912-03P - Fone contato (053) 91082873

Assinaturas: 0

Fórum

Associação Civil Alternativa Terrazul,

Rua Goiás No 621. Bairro: Pan-Americano. Cep: 60441000 Fortaleza - Ceará - Brasil

E-mail: alternativa.terrazul@terra.com.br tel: + 55 85 32810246

Alternatives International

Data Nome Mensagem