Terrazul leva debate sobre a Caatinga ao II Encontro Nacional dos Povos das Florestas.

terça-feira 25 de setembro de 2007

Por: Comunicação Terrazul

Terminou neste domingo, 23 de setembro, o II Encontro Nacional dos Povos da Floresta realizado em Brasília-DF. De acordo com a administração do evento foram mais de cinco mil participantes, representantes das populações tradicionais indígenas, quilombolas, rebeirinhos, seringueiros, quebradeiras de côco e tantos outros. A Alternativa Terrazul, através das Mesas Temáticas sobre o Semi-Árido, representou os povos da caatinga.

As mesas foram realizadas com o apoio do Banco do Nordeste e do Ministério do Meio Ambiente, durante os dias 19, 20 e 21 de setembro, sempre às 15h. Nesses três dias foram abordados os temas: Semi-Árido e Mudanças Climáticas; Semi-Árido, Biodiversidade e Redução da Pobreza; e o Semi-Árido e a Sustentabilidade.

Durante o encontro, como um todo, as grandes reivindicações foram o combate ao desmatamento, a proteção à biodiversidade e a participação dos povos das florestas em políticas públicas governamentais. Isso é o que foi passado para os representantes de governo presentes no evento, dentre eles o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra do Meio Ambiente Marina Silva.

Muito se foi falado a respeito de políticas de serviços ambientais, incentivos econômicos pelos serviços ambientais prestados à sociedade, algo como “Bolsa-Verde”, assim denominado pelo secretário de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Egon Krakhecke. A proposta é defendida pela Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab) e também pelo Grupo de Trabalho Amazônico (GTA), entidades organizadoras do evento. Essa e também a proposta de criação de um PAC Ambiental estão sendo estudadas pelo Governo.

A participação da Alternativa Terrazul, através das mesas de debate, se deu no sentido de afirmar junto ao poder público, aos outros representantes dos povos tradicionais e à própria sociedade, a caatinga como floresta brasileira. Mais importante do que apontar as pobrezas da região do semi-árido e do bioma caatinga é apresentar seu potencial produtivo, sua beleza, seu poder de superação, a identidade e cultura dos povos da caatinga.

As mesas desmistificaram a falta de água como principal problema do Semi-Árido e nos levaram a reflexão a respeito das políticas públicas desenvolvidas na região, ou da falta delas, como um dos fatores determinantes para a realidade local. O debate mostrou exemplos de sustentabilidade e proteção da biodiversidade, como o caso do extrativismo da carnaúba e o manejo da agricultura familiar. Além de apontar atividades destruidoras do meio ambiente local, como é o caso da carcinocultura.

Para a entidade, muito mais importante do que incentivos econômicos para a prática ambiental é a criação de mecanismos capazes de sustentar à sua prática e a incorporação dos valores ambientais, presentes, com tanta força e resistência, entre os povos das florestas.

Assinaturas: 0

Fórum

Associação Civil Alternativa Terrazul,

Rua Goiás No 621. Bairro: Pan-Americano. Cep: 60441000 Fortaleza - Ceará - Brasil

E-mail: alternativa.terrazul@terra.com.br tel: + 55 85 32810246

Alternatives International

Data Nome Mensagem