Abertura da reunião de alto nível da COP8

segunda-feira 27 de março de 2006

Em discurso na abertura da reunião de alto nível da COP8, na manhã desta segunda-feira (27), o governador Roberto Requião relatou aos ministros do Meio Ambiente de mais de 100 países que é taxado pela grande imprensa como populista e atrasado pela sua postura intransigente na defesa do meio ambiente. Mas, segundo ele, apesar de toda a pressão, não vai mudar. Requião mencionou uma notícia publicada pela Agência Reuters, que ao citá-lo classificou-o como “o populista Roberto Requião”.

“Avançados são a Monsanto e sua tentativa insidiosa de açambarcar a produção de sementes, controlar a produção brasileira de soja, submeter produtores e países, tornando-os dependentes de suas patentes. Avançada é a Sygenta e as experiências que faz em áreas de amortecimento próximas ao Parque Nacional do Iguaçu, com a semente Terminator, a semente suicida”, ironizou Requião.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, também presente no evento, lembrou que há muitos anos, quando as discussões sobre preservação ambiental começaram, as pessoas preocupadas com o tema também eram criticadas. “O que seria do Brasil e do mundo se há 30 anos, 40 anos tivéssemos medo de ser chamados de populistas, irresponsáveis, loucos, se tivéssemos aceitado a pressão e não seguíssemos em frente?”, questionou o presidente.

Requião contou que até mesmo a parceria do Governo com movimentos sociais e organizações não-governamentais é alvo de críticas e invocou a resistência à exploração inconseqüente do meio ambiente sob o pretexto do desenvolvimento econômico. “Somos os populistas, dizem-nos ‘atrasados’, confrontantes da ‘modernidade’. Ao mesmo tempo em que buscam desmerecer a nossa parceria com os movimentos populares, com as ONGs, com os índios”, disse o governador, afirmando que “o mercado avança como hordas de bárbaros porque não tem compromisso com a civilização, com o futuro, com a história. Para o mercado, o futuro é uma utopia sonhada por alguns românticos, populistas, quem sabe”.

O fortalecimento do Estado como ferramenta de defesa do meio ambiente também foi pregado por Requião. “Acredito que haja uma clara relação entre o avanço das forças antinatureza, anticivilização e o enfraquecimento do Estado e das políticas públicas de defesa do meio ambiente. Foi no vácuo do afastamento e da omissão do Estado que tivemos, nos últimos vinte anos, as graves e continuadas agressões aos nossos ecossistemas. E no rastro dessa omissão aconteceram abusos, insultos, desaforos, atrevimentos como o contrabando da soja transgênica da Monsanto para o Rio Grande do Sul e daí, a sua difusão para alguns Estados brasileiros”, lembrou o governador.

Avanços – Apesar da pressão do mercado e da dificuldade em estabelecer normas mais rígidas para proteção do meio ambiente, tanto Requião como Lula acreditam que houve avanços na defesa da biodiversidade e que a MOP3 e a COP8 foram um marco na história mundial. “Nós, os brasileiros, de nossa parte, estamos orgulhosos com o nosso governo por duas posições: a identificação das cargas de produtos transgênicos e a posição contra a produção, testes e comercialização da semente Terminator, a semente suicida”, citou o governador.

Lula classificou as duas convenções da ONU como um “gigantesco mutirão planetário” e ressaltou que “a luta pela preservação ambiental não é fácil. O que tem que nos mover é a consciência dos avanços que já conquistamos. É verdade que muitas vezes assinamos protocolos que não deixam de ser meros protocolos. Mas ao invés de reclamar, temos que comemorar. Os nossos fracassos serão reparados por quem vier depois de nós”.

Reunião

O prefeito de Curitiba, Beto Richa, também esteve presente na abertura da reunião e afirmou que os governantes precisam resolver duas equações. A primeira, segundo ele, seria estabelecer as cidades como núcleo de conservação do meio ambiente em parceria com o Governo Federal e organismos externos. “Além disso, temos que criar uma política de compensação para países que detêm reservas de biodiversidade”, defendeu Richa.

A 8ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica – COP8 - reúne desde a semana passada 3,6 mil delegados de 173 países na capital paranaense. A convenção foi estabelecida em 1992 e conta com 187 países signatários, além de um bloco regional (a Comunidade Européia). A reunião de alto nível da COP8 foi aberta nesta segunda-feira (27) e segue até quarta-feira (29), no Embratel Convention Center, em Curitiba.

Fonte: AEN

Assinaturas: 0

Fórum

Associação Civil Alternativa Terrazul,

Rua Goiás No 621. Bairro: Pan-Americano. Cep: 60441000 Fortaleza - Ceará - Brasil

E-mail: alternativa.terrazul@terra.com.br tel: + 55 85 32810246

Alternatives International

Data Nome Mensagem