Todos podem ajudar a reduzir perdas da biodiversidade

sábado 25 de fevereiro de 2006

Tema central da 8º a Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica (COP8), a biodiversidade tem sido o principal assunto das palestras que vêm sendo feitas pelo comitê local que prepara a cidade para receber as reuniões sobre biodiversidade e biossegurança, que serão realizadas de 13 a 31 de março em Curitiba.

Os preparativos envolvem taxistas, artesãos, servidores públicos, agentes de trânsito e de saúde, professores, estudantes universitários e profissionais de várias áreas que se cadastraram como voluntários para dar apoio às delegações estrangeiras. Em Curitiba, escolhida entre cinco cidades brasileiras para sediar as reuniões das Nações Unidas, também as crianças da rede municipal de ensino estão sendo preparadas para participar do debate e multiplicar as informações que aprenderem.

As reuniões oficiais das Nações Unidas unem em torno do tema delegações de 187 países e o bloco regional (Comunidade Européia) que assinaram a Convenção sobre Diversidade Biológica, tratado que nasceu durante a Rio 92 (Conferências das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento).

"E o que nós temos a ver com isso?", pergunta invariavelmente aos participantes das capacitações a educadora ambiental, Samira Leme, uma das responsáveis pelas palestras de sensibilização em torno do tema. Ela comprova que todos os cidadãos devem ter sua parcela de responsabilidade sobre a questão. "A capacidade de refletir nos dá a dimensão da nossa responsabilidade", ensina.

"É claro que em reuniões como estas, o Brasil não vai tomar sozinho as decisões. É para isso que existem as reuniões. Mas devemos começar agora a adotar práticas ambientais que podem reduzir a perda da biodiversidade", afirma. Para exemplificar o que cada um deve fazer, Samira Leme enumera as causas da perda de biodiversidade e relaciona algumas atitudes que podem ajudar a impedir que isso aconteça.

Até 2010, os países signatários da Convenção sobre Diversidade Biológica, inclusive o Brasil, terão que atingir metas para reduzir a perda da biodiversidade. O Brasil tem grande responsabilidade na questão porque é um dos 17 países megadiversos e concentra, sozinho, mais de 20% da biodiversidade mundial, o equivalente a um quinto da biodiversidade do mundo.

Algumas das causas da perda da Biodiversidade e o que você pode fazer:

Poluição do solo, da água e da atmosfera

O que fazer?

- Reduza a geração de resíduos sólidos, ou seja, lixo. Esta atitude pode exigir ainda uma mudança no comportamento de consumo.

- Nunca queime os resíduos sólidos.

- Entregue o lixo reciclável para a coleta seletiva ou para os catadores.

- Entregue o lixo tóxico domiciliar nos pontos de coleta.

- Use restos de plantas, frutas e verduras como adubo para jardim.

Mudanças climáticas globais

- poluição atmosférica pela queima de combustíveis fósseis como os dos carros e das indústrias.

O que fazer?

- Para diminuir a poluição atmosférica das cidades, é preciso observar a vida útil dos componentes de controle de poluição dos veículos automotores.

- Dê preferência ao transporte coletivo, carona solidária, ande a pé ou de bicicleta.

Fragmentação e degradação de habitat

- decorrente das modificações impostas por nós ao lugar onde vivemos para atender as nossas necessidades. As cidades são ambientes modificados.

O que fazer?

- Apóie a criação de unidades de conservação como os parques, por exemplo.

- Ao usar venenos contra pragas de jardim, observar se não são tóxicos e prejudiciais à saúde e ao meio ambiente.

- Nunca solte balões para evitar incêndios e queimadas.

- Aproveite a iluminação natural na construção de sua casa.

Invasão de espécies introduzidas

- causada pelo transporte de espécies que podem levar a epidemias ou ao desequilíbrio ambiental. Só os navios de todo o mundo levam "de carona" sete mil espécies, segundo especialistas.

O que fazer?

- Ao visitar outros lugares, não leve espécies de flora e fauna que possam desequilibrar os ecossistemas locais.

Exploração excessiva de espécies vegetais e animais

O que fazer?

- Não compre e nem venda peixes, camarões, caranguejos, lagostas em época de desova ou período de defeso, quando se reproduzem. Se você não sabe quando isso acontece, informe-se.

- Ajude a combater o tráfico e extinção de espécies. Nunca compre animais e plantas como orquídeas, xaxins, palmitos, papagaios, macacos, entre outros, retirados ilegalmente.

- Escolha produtos de empresas que investem em proteção ambiental.

Agricultura e pecuária intensiva

O que fazer?

- Exija a criação e cumprimento de legislações voltadas para a conservação de áreas de preservação permanente, como as margens dos rios.

Fonte: www.cop8mop3.com.br

Assinaturas: 0

Fórum

Associação Civil Alternativa Terrazul,

Rua Goiás No 621. Bairro: Pan-Americano. Cep: 60441000 Fortaleza - Ceará - Brasil

E-mail: alternativa.terrazul@terra.com.br tel: + 55 85 32810246

Alternatives International

Data Nome Mensagem