Preparação para eventos da ONU reúne jornalistas de todo o país

terça-feira 14 de fevereiro de 2006

Profissionais de imprensa e representantes de veículos de comunicação de todo o país participam, em Curitiba, de um ciclo de palestras voltado à cobertura jornalística das conferências da ONU sobre biodiversidade e biossegurança, que serão realizadas na cidade, de 13 a 31 de março.

Participam da capacitação, que será encerrada hoje (14), no Centro de Treinamento da Federação das Indústrias do Estado do Paraná, cerca de 170 profissionais - repórteres, cinegrafistas, fotógrafos, produtores, editores - e 16 representantes de veículos de comunicação.

O ciclo de palestras foi aberto ontem (13) pelo gerente de Recursos Genéticos do Ministério do Meio Ambiente, Rubens Nodari, que explicou a importância da realização no Brasil da 3ª a Reunião das Partes do Protocolo de Cartagena sobre Biossegurança (MOP3), de 13 a 17 de março, e da 8a Reunião da Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica (COP8), de 20 a 31 de março. "Este é o maior evento sobre biodiversidade desde a Rio 92", afirmou.

Nodari lembrou que o Brasil é um país mega-diverso e destacou a importância da cobertura jornalística dos eventos. "Nosso principal objetivo é fazer com que as discussões cheguem ao cidadão", ressaltou. Ele lembrou que quem cuida da biodiversidade são as comunidades e que, muitas vezes, por falta de informação, não sabem de sua importância para as futuras gerações.

Explicações - Em outra palestra, o consultor da Secretaria de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente, Anthony Gross, situou os jornalistas no contexto das conferências de biodiversidade, tratado internacional do qual fazem parte os países que o ratificaram. O Brasil, lembrou, é uma das 188 partes da Convenção.

Anthony Gross também falou sobre os objetivos da Convenção (COP8). "Não se trata apenas de um instrumento ambiental, mas também de promoção do desenvolvimento sustentável, da identificação das causas das perdas da biodiversidade e da erradicação da pobreza", explicou. Ele definiu a reunião como "importantíssima" para o Brasil, que presidirá a COP8 até o próximo encontro internacional, em 2008.

A repartição dos benefícios monetários obtidos com a exploração dos recursos genéticos foi o tema da apresentação da bióloga Cristina Azevedo, gerente do Departamento de Patrimônio Genético do Ministério do Meio Ambiente.

Para exemplificar a importância do assunto, ela citou pesquisa realizada em 1998 mostrando que das 150 drogas mais indicadas nos Estados Unidos, 57% delas contém pelo menos um componente derivado de recursos genéticos sem retorno significativo para os países provedores.A bióloga antecipou que um dos assuntos debatidos durante a MOP3 será sobre os conhecimentos, inovações e práticas das comunidades locais e indígenas.

Também participando das palestras, o diretor de campanha do Greenpeace, Marcelo Furtado, informou que será realizado, paralelamente às reuniões oficiais, fórum de debates entre organizações não-governamentais e movimentos sociais, com exposições de experiências bem sucedidas na área ambiental.

Durante o primeiro dia de capacitação para os jornalistas, ainda foram apresentados matérias e vídeos jornalísticos produzidos em eventos similares, como na Rio 92, com a intenção de exemplificar formas de selecionar notícias numa conferência internacional, onde muitos assuntos são discutidos ao mesmo tempo.

Ao final do ciclo de palestras, o coordenador de comunicação da Conferência sobre Diversidade Biológica, David Ainsworth, elogiou a organização dos preparativos para as conferências, especialmente a mobilização para preparar jornalistas antes dos eventos. "Isso é fundamental para uma boa cobertura", elogiou.

Nesta terça-feira (14), segundo e último dia da capacitação, serão formados dois grupos com orientações específicas para jornalistas de texto e profissionais de imagem. O grupo de texto vai saber mais sobre a cobertura sobre biodiversidade e a cobertura on line. Já o grupo de imagens vai saber mais sobre a captação de imagens em meio ambiente e locais interessantes para a ambientação de matérias em Curitiba e Região.

Juntos, todos saberão da preparação da cidade para receber a COP8 e a MOP3, quais são as Unidades de Conservação do Paraná e os desafios para a implementação da Convenção sobre Diversidade Biológica. Ainda nesta terça, os participantes poderão visitar, à tarde, os parques e praças de Curitiba ou, se preferirem, visitar as Unidades de Conservação do Litoral e do Interior. Os que fizerem esta opção voltarão a Curitiba no dia seguinte.

Fonte: www.cop8mop3.com.br

Assinaturas: 0

Fórum

Associação Civil Alternativa Terrazul,

Rua Goiás No 621. Bairro: Pan-Americano. Cep: 60441000 Fortaleza - Ceará - Brasil

E-mail: alternativa.terrazul@terra.com.br tel: + 55 85 32810246

Alternatives International

Data Nome Mensagem